O sapateado americano e suas influências africanas

por Alexei Henriques

O sapateado americano surgiu numa mistura de diversas danças, oriundas principalmente da África e da Europa. Em relação à Europa, as principais danças que influenciaram o sapateado americano foram as danças irlandesas como a Reel, o Hornpipe e a Irish Jig, sem contar a dança do norte da Inglaterra Lancashire Clog. Mas, apesar dessa influência britânica e apesar dessa dança ter ficado mundialmente famosa com muitas estrelas brancas de Hollywood, o sapateado americano nasceu nas ruas dos Estados Unidos com o povo negro, recebendo influências diretas de danças afro-americanas da época.

Os primeiros africanos escravizados a chegarem nos EUA remetem ao ano de 1619. Desde então, muitos negros africanos foram levados ao novo continente para serem escravizados, vindo de variadas regiões da costa oeste africana, desde onde hoje é o Senegal até Angola, com línguas, povos, costumes e culturas diferentes. A região Sul dos EUA, por ser uma região com o solo mais fértil do que o Norte, tinha muita plantação e consequentemente mais mão de obra escrava. Os territórios americanos passaram por muitas mudanças, fazendo parte de colônias espanholas, francesas, holandesas e britânicas ao longo desses séculos e cada um desses países trazia escravos de diferentes lugares da África e os obrigavam a praticarem seus costumes e religiões, como o catolicismo latino e o protestantismo britânico. Além disso, os EUA também recebiam muitos escravos proveniente das ilhas caribenhas, pois esses lugares também foram colônias da França, Inglaterra e Espanha.

A maioria dos escravos norte-americanos provinha do Senegal, da costa da Guiné, do delta do Niger e do Congo. Alguns povos africanos que tiveram grande importância para o nascimento de novos estilos de música e dança na América são os Iorubas (região da atual Nigéria), os Ashantis (região da atual Gana) e os Daomenos (região do atual Benim). Foi com os escravos daomenos, trazido pelos colonizadores franceses, que o vudu começou a florescer, principalmente no Haiti e no estado de Lousianna, onde se encontra a cidade de New Orleans, berço do jazz.

De 1718 a 1764, o estado de Luisiana foi de possessão francesa até ser cedida à Espanha. Após 36 anos de governo espanhol, Napoleão tomou a terra de volta em 1800 e em 1803 vendeu o estado para os EUA, que fez com que a cidade de Nova Orleans deixasse de ser católica para ser protestante e que também se tornasse uma das mais importantes cidades da América do Norte durante o século XIX. Com a fusão do vudu, da religião católica trazida pelos colonizadores latinos, dos cantos religiosos das igrejas negras protestante, dos ritmos africanos, da canção de trabalho dos escravos, das marchas de fanfarra e das danças afro-americanas do século XIX que, após o surgimento do blues e do ragtime, o jazz nasceu. E junto com esse estilo de música tipicamente americano começava a nascer também o sapateado. O jazz prioriza o improviso, a liberdade e os novos experimentos; um estilo de vida que os negros e os imigrantes buscavam. O sapateado também reflete isso, há muitos estilos e liberdade para criar novos ritmos, além do improviso também ser um elemento muito presente. O sapateado foi muito influenciado por danças afro-americanas oriundas do jazz como as danças Buck and Wing (Bill Bojangle se dizia um Buck Dancer) e Jig onde, mais tarde, elas evoluíram para o Foxtrot, Charleston e Lindy Hop.

Algumas outras danças afro-americanos precursoras do sapateado que podemos citar são o Cake Walk (essa dança nasceu nas fazendas do sul dos EUA, onde os negros da época imitavam e satirizavam a dança e os estilos da aristocracia, o melhor dançarino ganhava um bolo de presente do seu senhor, por isso adquiriu esse nome), Ring Shout (mais voltadas a cultos religiosos) e a Juba Dance, um tipo de dança onde existe muito fortemente o elemento rítmico, a marca do tempo com os pés, palmas e batidas no corpo, há círculos, desafios e competições (daí vem o nome do sapateador Master Juba). Juba é uma palavra originária do oeste africano, mas foi uma dança muito popular entre os negros americanos do sul. A palavra, além de ser o nome de uma dança, é também o nome da capital do Sudão do Sul, o nome de um rio que passa pela Etiópia e Somália e possui significados como “rei” ou “comando”, daí vem a palavra “juba do leão”. De modo geral, ao contrário das danças irlandesas, que são rígidas, eretas e elegantes, as danças negras africanas são mais voltadas para o chão, para a terra, a natureza, possuindo mais swing e mais balanço. Apesar da forte influência europeia, com grande destaque para as danças irlandesas, foi principalmente com o povo negro que o sapateado americano nasceu e se desenvolveu. Praticamente toda a música e a dança nascida nos EUA possui influências diretas dos povos africanos escravizados que perduram até os dias de hoje.

Uma consideração sobre “O sapateado americano e suas influências africanas”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s